Buscar
  • Rodrigo Oliveira

Deixar o passado para trás

Atualizado: 18 de Abr de 2019

Quando um relacionamento termina você pode passar pelo luto e também pela culpa (vejam os textos anteriores). Mesmo já tendo vivido essas etapas, algumas vezes você ainda se sente preso ao seu ex-companheiro/a. Você pode até estar em uma nova relação, porém compara tudo o que acontece com a anterior. Às vezes, chega até mesmo a dizer isso para seu novo/a companheiro/a.

Imagine como deve ser frustrante ficar ouvindo comparações o tempo todo ou mesmo escutar alguém reclamar de tudo o que houve antes. Você já saiu com alguém que no primeiro encontro contou tudo o que aconteceu na relação anterior? É chato, né!

Todos nós já tivemos experiências negativas e traumáticas que nos ensinaram grandes lições. Isso é muito positivo. Porém, quanto tempo você pretende reviver em sua mente as experiências traumáticas que teve? Por exemplo, todo mundo conhece uma pessoa, que mesmo com 60 anos, conta um trauma de infância. Até aí normal, porém percebemos ao escutá-la que ela está paralisada nesse episódio, está hipnotizada pela situação, como se estivesse revivendo aquele momento.

Sou um fanático por séries, e estes dias me deparei como a série Lucifer, da Netflix. Para quem não viu, a premissa diz que o diabo, cansado do que faz, resolve passar uma temporada aqui na terra. Há muitas discussões filosóficas nela e eles dão uma definição de inferno muito interessante: a pessoa fica revivendo seu pior momento de vida pela eternidade. Quantos de nós não estamos fazendo isto com as relações anteriores que tivemos? Revivemos todos os acontecimentos traumáticos em nossa mente, como se estivéssemos passando novamente.

A PNL (programação neurolinguística) diz que, muitas vezes, nosso corpo não faz diferença entre uma história real, inventada ou revivida. Como assim? Quando você pensa em algo, seu corpo acredita que aquilo está acontecendo e entende que deve se preparar. Note que quando você está revivendo o trauma, há inúmeros sinais físicos que aparecem no seu corpo (alteração da pressão, voz embargada, pressão no peito e etc). Ao lembrar de uma situação traumática, pode se ter os mesmos sintomas físicos apresentados no primeiro momento.

Há uma história budista muito interessante que diz que um grupo de monges chegou a um rio e lá havia uma mulher que estava querendo atravessar. Porém, seu vestido era muito longo e ela não conseguiria passar. Um dos monges, mesmo quebrando seu voto de não ter contato físico, levanta-a e coloca-a em seus ombros, possibilitando que ela atravesse. No caminho de volta, outro monge, a cada meia hora falava que o primeiro monge tinha feito algo errado. Após muito tempo, o homem que carregou a mulher disse: - eu carreguei a mulher uma vez, porém você está carregando-a até agora.

Até quando você vai ficar carregando estas histórias? O que foi, já foi! Viva sua vida intensamente, você ainda pode ter muitas oportunidades. Ao ficarmos presos no passado, nós nos privamos de estarmos no momento presente e ver tudo o que há em nossa volta.

Se você se sente preso a uma relação anterior, um bom exercício que pode te ajudar é:

Imagine seu companheiro/a e faça uma pequena reverência a ele/ela. Reconheça que esta pessoa fez e faz parte de sua história. Agradeça a ele/ ela por tudo o que lhe ensinou. Se necessário, diga as palavras SINTO MUITO, ME PERDOE, TE AMO e SOU GRATO, pode falar várias vezes.

Se tem filhos, olhe para esta pessoa e diga que ela deu o melhor que ela podia, que são seus filhos. Imagine agora que vocês giram e ficam de costas um para o outro. Veja você começando a andar e agora siga em frente.


Os florais de Bach também são ferramentas muito poderosas que podem te ajudar a deixar o passado para trás. Algumas gotinhas por dia e você poderá, aos poucos, ir para frente.


Honeysuckle – Deixar o passado no passado

Chestnut Bud – Aprender com as lições cotidianas

Star Of Bethlehem – Curar traumas pessoais e transgeracionais

Willow – Limpa ressentimento e amargura


Deixe o passado para trás!

E caso não consiga fazer isso sozinho/a, procure um terapeuta holístico. Práticas como a constelação familiar, hipnose, massagem reparentalizadora, renascimento familiar, thetahealing, barra de access, entre outras, podem te ajudar.

Rodrigo Oliveira

Constelador Sistêmico, hipnoterapeuta, reikiano, reprogramador biológico e renascedor.

www.reconectandocomavida.com.br

insta: @reconectandocomavida

Whats (11) 9.5222-5497







230 visualizações